DOI: http://dx.doi.org/10.12804/apl32.2.2014.10

Nuevos escenarios de formación en psicología en Brasil

Descargar Artículo
Joao Paulo Macedo, Magda Dimenstein, Adrielly Pereira de Sousa, Davi Magalhães Carvalho, Mayara Alves Magalhães, Francisca Maira Silva de Sousa

Resumen


La formación en Psicología en Brasil pasa por transformaciones, debido a la expansión del sector de enseñanza superior. Por un lado, se observa un crecimiento de cursos de psicología en las regiones del interior del país, por otro, se observa la incorporación cada vez más frecuente de instituciones de enseñanza por parte de grupos extranjeros. Se pretende con este estudio mostrar las etapas de interiorización e internacionalización de los cursos de psicología, enfocando los desafíos para la formación del psicólogo brasileño. Se trata de un estudio descriptivo exploratorio con base en datos oficiales sobre la enseñanza superior en el Brasil. Creemos que este es un contexto que presenta nuevos escenarios y desafíos para la formación de los psicólogos, pues reposiciona a la profesión en nuestro país, vinculándola no apenas a las capitales y grandes centros urbanos, sino también exigiendo que los cursos, inclusive los internacionalizados, pasen a considerar en sus currículos la heterogeneidad espacial, social y simbólica, a veces conflictiva y ambigua, que atraviesa la realidad brasileña.

Palabras clave


psicología; educación superior; formación profesional;

Texto completo:

PDF (Inglés)

Estadísticas de Uso:

Descargas
Año201420152016
Total19040276



Referencias


Almeida, E. P. (2008, Julho 11). O negócio da escola de marca. Jornal da Ciência - SBPC. Disponível em http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=57280.

Bastos, A. V. B., Gondim, S. M. G., & Rodrigues, A. C. A. (2010). Uma categoria profissional em expansão: quantos somos e onde estamos? In A. V. B. Bastos, & S. M. G. Gondim (Orgs.), O trabalho do psicólogo no Brasil (pp. 32-44). Porto Alegre: Artmed.

Bock, A. M. B. (1999). Psicologia a caminho do novo século: identidade e compromisso social. Estudos de Psicologia, 4(2), 315-329.

Boventti, R. V. (2008, Agosto 1) Avanço verde-amarelo. Revista Ensino Superior. Disponível em http://revistaensinosuperior.uol.com.br/textos.asp?codigo=12195

Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (2011). Censo da Educação Superior - 2010. Brasília, DF: Ministério da Educação. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17212

Carneiro, M. J. (2005). Apresentação. In R. J. Moreira (Org). Identidades sociais: ruralidades no Brasil contemporâneo (pp. 7-14). Rio de Janeiro: DP&A.

Castro, C. M. (2008, Abril 1). Internacionalização do Ensino Superior: invasão de farmacêuticas ou de marcianos? Interesse Nacional. Disponível em http://interessenacional.uol.com.br/2008/04/internacionalizacao-do-ensino-superior-invasao-de-farmaceuticas-ou-de-marcianos

Conselho Federal de Psicologia. (1988). Quem é o Psicólogo brasileiro? São Paulo: EDICON.

Conselho Federal de Psicologia. (1994). Psicólogo brasileiro: práticas emergentes e desafios para a formação. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Conselho Nacional de Educação. (2004). Notícia: diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em psicologia. Psicologia: teoria e pesquisa, 20(2), 205-208.

Duarte, J. (2008). Regiões promissoras. Revista Ensino Superior, 115(1). Disponível em http://revistaensinosuperior.uol.com.br/textos.asp?codigo=12126

Ferreira Neto, J. L. (2011). Psicologia, políticas públicas e o SUS. São Paulo: Escuta; Belo Horizonte: FAPEMIG.

Gomide, P. I. C. (1988). A formação acadêmica: onde residem suas deficiências. In Conselho Federal de Psicologia. (Org.), Quem é o psicólogo brasileiro? (pp.69-85). São Paulo: Edicon.

Leite, J. F., Macedo, J. P., Dimenstein, M & Dantas, C. (2013). A formação em Psicologia para a atuação. In J. F. Leite & M. Dimenstein. Psicologia e contextos rurais (pp.27-56). Natal, Rn: EdUFRN.

Lima, M. C. & Maranhão, C. M. S. A. (2011). Políticas curriculares da internacionalização do ensino superior: multiculturalismo ou semiformação? Ensaio: aval.pol.públ.Educ., 19(72), 575-598.

Lisboa, F. S., & Barbosa, A. J. G. Formação em psicologia no Brasil: um perfil dos cursos de graduação. Psicologia: ciência e profissão, 29(4), 718-737.

Macedo, J. P., & Dimenstein, M. (2011). Expansão e interiorização da Psicologia: reorganização do saberes e poderes na atualidade. Psicologia: ciência e profissão, 31(2), 296-213.

Martins, C. B. C. (2009). A reforma universitária de 1968 e a abertura para o ensino superior privado do Brasil. Educação e Sociedade, 30(106), 15-35.

Morosini, M. C. (2006). Estado do conhecimento sobre internacionalização da educação superior: conceitos e práticas. Educar em revista, 28(1),107-124.

Neves, C. E. B., Raizer, L., & Fachinetto, R. F. (2007). Acesso, expansão e equidade na educação superior: novos desafios para a política educacional brasileira. Sociologias, 9(17), 124-157.

Oliveira, M.G., & Carvalho, M. E. (2011). Mercantilização e internacionalização: uma análise da educação superior no Brasil a partir dos anos 90 e suas consequências para o trabalho docente. Anais do II Seminário da Rede de Pesquisadores sobre Associativismo e Sindicalismo dos Trabalhadores em Educação, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 18-20.

Oliveira, R. P. (2009). A transformação da Educação em Mercadoria no Brasil. Educação e sociedade, 30(108), 739-760.

Ribeiro, G. F. (2006). Afinal, o que a Organização Mundial do Comércio tem a ver com a educação superior? Revista Brasileira de Política Internacional, 49(2), 137-156.

Rocha, Jr., A. (1999). As discussões em torno da formação em psicologia às diretrizes curriculares. Psicologia: teoria e prática, 1(2), 3-8.

Sánchez, F. (1999). Políticas urbanas em renovação: uma leitura crítica dos modelos emergentes. Rev. Bras. Estudos Urbanos Regionais, 1(1), 115-132.

Sguissardi, V. (2008). Modelo de expansão da educação superior no Brasil: predomínio privado/mercantil e desafios para a regulação e a formação universitária. Educação e sociedade, 29(105), 991-1022.

Sousa, J. V. (2006). Restrição do público e estímulo à iniciativa privada: tendência histórica no ensino superior brasileiro. In M. A. Silva, & R. B.

Silva (Orgs.). A ideia de universidade (pp. 139-178). Brasília, DF: Líber Livro.

Van Damme, D. (2001). Quality issues in the internationalization of higher education. Higher Education, 41, 415-41.

Yamamoto, O. H., Silva, J. A. J. S, N., & Zanelli, J. C. (2010). A formação básica, pós-graduada e complementar do psicólogo no Brasil. In A. V. B.

Bastos, & S. M. G. Gondim (Orgs.), O trabalho do psicólogo no Brasil (pp. 45-65). Porto Alegre: Artmed.