Contenido principal del artículo

André Luiz Fischer
Natacha Bertoia Da Silva

Este artículo intenta mostrar la relación entre prácticas de calidad y el proceso de aprendizaje organizacional. Al revisar la literatura sobe programas de mejoramiento continuo encontramos que los teóricos consideran que el proceso de aprendizaje organizacional es una etapa avanzada en la cultura de calidad adoptada por las compañías.

Para investigar esta alternativa, hemos combinado indicadores tomados de diversos autores clásicos quienes han escrito sobre aprendizaje organizacional. Implementando una metodología ampliada, aplicando estos indicadores a dos plantas de la compañía Nestle, las cuales han generado programas de mejoramiento continuo en los dos últimos años.


Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

André Luiz Fischer, University of São Paulo.

Professor of the School of Economics, Business and Accounting of the University of São Paulo.

Natacha Bertoia Da Silva, School of Economics, Business and Accounting of the University of São Paulo

Postgraduated in School of Economics, Business and Accounting of the University of São Paulo.

Aargyris, C.; & Schon, D. Organizational Learning: A Theory of Action Perspective. Harvard University, 1978.

Argyris, C. (1996) Organizational Learning II: Theory, Method, and Practice. Addison-Wesley Publishing Company, 1996.

Bessant, J. (1999). Developing Continuous Improvement Capability. International Journal of Innovation Management, 1999.

Bessant, J. (2000). An Evolutionary Model of Continuous Improvement Behavior. Technovation. Spring, 2000.

Bessant, J. (1994). Rediscovering Continuous Improvement. Technovation, v.14, n.1, p. 17-29, 1994.

DiBella, A., Nevis, E (1999). Como as Organizações Aprendem: uma estratégia integrada voltada para a Construção da Capacidade de Aprendizagem. São Paulo: Educador, 1999.

Fleury, A., & Fleury, M. T. (1997). Aprendizagem e inovação organizacional: as experiências de Japão, Coréia e Brasil. São Paulo: Atlas, 1997.

Garvin, D. (1992). Gerenciando a qualidade: a visão estratégica e competitiva. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1992.

Garvin, D. (2000). Learning in action: a guide to putting the learning organization to work. United States: Harvard Business School Press, 2000.

Garvin, D. (2000) Construção da organização que aprende, in Gestão do Conhecimento, Harvard Business Review. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

Imai, M. Kaizen (1988). a estratégia para o sucesso competitivo. São Paulo: IMAM, 1988.

Nonaka, I. (1997). Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

Rodrigues, M.V. (1999). Processo de melhoria nas organizações brasileiras. Rio de Janeiro: Qualitymark Ed., 1999.

Salermo, M. S. (1987). Produção, Trabalho e Participação: CCQ e Kanban numa nova imigração japonesa in Processos e Relações do Trabalho no Brasil. Maria Tereza Leme Fleury and Rosa Maria Fischer, coordinators. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 1987.

Senge, P. (1990). A quinta disciplina: arte, teoria e prática da organização de aprendizagem. São Paulo: Editora Best Seller, 1990.

Siqueira, J. (1995). Liderança, qualidade e competitividade. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1995.

Trivinos, A. (1992). Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1992.

Detalles del artículo