Contenido principal del artículo

Autores/as

Este artículo presenta la dinámica de una ciudad de tamaño intermedio, Pelotas, localizada en el estado de Río Grande del Sur, Brasil. Tiene como objetivo problematizar el análisis de los flujos migratorios, que impactan la morfología de la ciudad, que son el resultado de las inter­venciones del Estado con la iniciativa privada. Para evidenciar tal realidad serán presentados los datos de la investigación vinculada al Observatorio de Conflictos de la Ciudad del Programa de Posgrado en Política Social y Derechos Humanos de la Universidad Católica de Pelotas. Las contribuciones de los autores Henri Lefebvre, David Harvey y Raquel Rolnik determinaron la perspectiva crítica de este estudio.

Medeiro Kruger, N. R., & Ribeiro, C. J. (2020). Ciudades de tamaño intermedio, territorios de conflicto y de intereses diversos. Territorios, (43-Esp.). https://doi.org/10.12804/revistas.urosario.edu.co/territorios/a.8293

Abramo, P. (2007). A Cidade caleidoscópica: coordenação espacial e convenção urbana, uma perspectiva heterodoxa para a economia urbana. Bertand Brasil.

Acselrad, H., Mello, C. C. A., & Bezerra, G. N. (2007). O que é justiça ambiental. Editora Garamond.

Al-Alam, C. C. (2007). A negra força da princesa: polícia, pena de morte e correção em Pelotas. (Dissertação de mestrado, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Rio Grande do Sul). http://biblioteca.asav.org. br/vinculos/tede/negra%20forca.pdf

Al-Alam, C. C. (2017). Passo dos Negros. Em B. A. Loner, L. A Gill, & M. O. Magalhães (Orgs.), Dicionário de História de Pelotas (pp. 211, 241-242x). Editora da ufpel.

Alves, J. (2016). Apresentação 02. Pelotas, 27 de junho de, 2016. 48 slides. Apre¬sentação em Power Point.

Alves, J. (2017). Regularização Fundiária: a cidade que temos e queremos. Pelotas, 7 de julho de, 2017. 337 slides. Apresentação em Power Point.

Alves, J. (2014). Regularização Fundiária. Pelotas, 16 de outubro de, 2014. 320 slides. Apresentação em Power Point.

Baumgartem, C. (2018). Publicação eletrônica [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 19 junho 2018.

Boulos, G. (2015). Por que ocupamos? São Paulo: Autonomia Literária.

Brasil, Presidência da República. (2005). Lei nº 11.096, De 13 De Janeiro De 2005. Institui o Programa Universidade para Todos - prouni, e dá outras providências.

Brasil, Presidência da República. (2007a). Decreto Nº 6.096, De 24 De Abril De 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais - reuni.

Brasil, Presidência da República. (2007b). Lei Nº 11.578, De 26 De Novembro De 2007a. Dispõe sobre a transferência obrigatória de recursos financeiros para a execução pelos Estados, Distrito Federal e Municípios de ações do Programa de Aceleração do Crescimento – pac, e sobre a forma de operacionalização do Programa de Subsídio à Habitação de Interesse Social – psh nos exercícios de 2007 e 2008.

Brasil, Presidência da República. (2009). Lei Nº 11.977, De 7 De Julho De 2009. Dispõe sobre o Programa Minha Casa, Minha Vida – pmcmv e a regularização fundiária de assentamentos localizados em áreas urbanas; altera o Decreto-Lei no 3.365, de 21 de junho de 1941, as Leis nos 4.380, de 21 de agosto de 1964, 6.015, de 31 de dezembro de 1973, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 10.257, de 10 de julho de 2001, e a Medida Provisória no 2.197-43, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências.

Brasil, Ministério da Economia. (2018). pac 6º balanço 2015 – 2018. Infraestrutura. http://www.pac.gov.br/pub/up/rela torio/11fbe9b2f7cbecb3ec5c1f9f67b5f3be.pdf

Chiarelli, L. M. A. (2014). Habitação Social em Pelotas (1987-2010): influência das políticas públicas na promoção de conjuntos habitacionais. (Tese de doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre).

Cogoy, C. (setembro 4, 2017a). Famílias lutam contra a remoção. Diário da Manhã, 39(62).

Cogoy, C. (setembro 5, 2017b). Regularização fundiária: Pelotas possui mais de 200 áreas irregulares. Diário da Manhã, 39(63).

Diário Popular. (2018). Ornel e Waldomiro são alvos da Polícia Federal. Jornal Diário Popular, ano 128, Capa.

Fundação João Pinheiro – fjp. (2013). Déficit Habitacional Municipal no Brasil 2010. : Belo Horizonte: Centro de Estatísticas e Informação.

Gonçalves, M. F. (1995). O novo Brasil Urbano. Mercado Aberto.

Gutierrez. E. J. B. (2001). Negros, Charqueadas e Olarias: um estudo sobre o espaço pelotense. Pelotas: Ed. ufpel.

Harvey. D. (2005). O Novo Imperialismo. Edições Loyola.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – ibge. (2014). Nota técnica. Estimativas da população dos municí¬pios brasileiros com data de referência em 1º de julho de 2014. http://ibge. gov.br/populacao

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – ibge. (2017). Pelotas, Censo 2017. http://cidades.ibge.gov.br/xtras/per¬fil.php?codmun=431440

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – ibge. (2010). Censo 2010. http://censo2010.ibge.gov.br

Kowarick, L. (1993). A Espoliação Urbana. Paz e Terra.

Kruger, N. R. M. (2018). O Plano Perfeito: da retórica do direito à moradia a planificação do Programa Minha Casa Minha Vida em Pelotas à negação do habitar. (Dissertação de mestrado, Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, Rio Grande do Sul).

Lefebvre, H. (2001). O Direito à Cidade. Centauro.

Maciel, L. M. (2014). A problemática dos cortiços pelotenses entre os séculos xix e xx. Cadernos do Lepaarq, Universidade Federal de Pelotas, XI(22), 41-51.

Maricato, E. (2013). As ideias fora do lugar e o lugar fora das ideias. Em C. A. Vainer (Ed.), Cidade do Pensamento Único: desmanchando consensos (pp. 121-192). Vozes.

Maricato, E. (2015). Para entender a crise urbana. Expressão Popular.

Maricato, E. (2009). Por um novo enfoque teórico na pesquisa sobre habitação. Cadernos Metrópole (pucsp), 21, 33-52. https://revistas.pucsp.br/index.php/metropole/article/viewFi-le/5954/4308

Moura, R. M. G. R. de (2006). Habitação Popular em Pelotas (1880-1950): entre políticas públicas e investimentos privados. (Tese de doutorado, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre).

Nabuco, A., Primi, L., & Nabuco, W. (2014). Luta por um Teto. Revista Caros Amigos, Entrevista Guilherme Boulos.

Pelotas, Prefeitura Municipal. (2008). Lei Municipal n.º 5.502, de 11 de setembro de 2008. Institui o Plano Diretor Munici¬pal e estabelece as diretrizes e proposições de ordenamento e desenvolvimento territorial no município de Pelotas, e dá outras providências. http://www.pelotas.com.br/politica_urba-na_ambiental/planejamento_urbano/III_plano_diretor/lei_iii_plano_dire-tor/arquivos/lei_5502.pdf

Pelotas, Prefeitura Municipal. (2012). Lei Municipal n.º 5.963, de 28 de dezembro de 2012. Altera o Perímetro Urbano do Município de Pelotas, e dá outras providências. http://www.pelotas.rs.gov.br/interesse_legislacao/leis/2012/LEI5963.pdf

Pinto, J. V. (2016). Contribuições para estudo do “Programa Minha Casa, Minha Vida” para uma cidade de porte médio, Pelotas-RS: caracterização das empresas construtoras e incorporadoras privadas e inserção urbana. (Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas).

Plano Local de Habitação de Interesse Social de Pelotas – plhis. (2013). Pelotas: Pre¬feitura municipal de Pelotas. http:// plhispelotas.blogspot.com Plano Local de Habitação de Interesse Social de

Pelotas – plhis. (2013a). Plano local de habitação de interesse social de Pelotas – Etapa 3: estratégias de ação. 3C Arquitetura e Urbanismo.

Rheingantz, C. G. (2004). O charqueador. Diário Popular, Pelotas, ano 114(274).

Rio Grande Do Sul. (2016). Acordo judicial firmado sobre a Ação Civil Pública nº 022/1.14.0007280-6. em 21 nov. 2016. http://www1.tjrs.jus.br/busca/?tb=proc

Rodrigues, T. A., & Salvador, E. (2011). As implicações do Programa de Aceleração do Crescimento (pac) nas Políticas Sociais. Ver. Ser Social, 13(28), 129-156.

Rolnik, R. (2015). Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. Boitempo.

Singer, P. (1977). Desenvolvimento econômico e evolução urbana. Editora Nacional.

Vainer, C. (2013). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Vozes.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.